Editora da UFRNEditora da UFRN

Menu
K
P

Ser estudante, ser professor, ser pesquisador: Educação e vida social no meio acadêmico

  • Autor/ Organizador: Adir Luiz Ferreira (Org.)
  • ISBN: 978-85-425-0666-2
  • Ano de publicação: 2016
  • Linha editorial
  • Coleção/ Série: Coleção Ciências Sociais 2
  • Tipo de publicação: Digital
  • Formato/suporte: Adobe PDF
  • Número de páginas: 324
  • Palavras-chaves: Educação, Pesquisa, Academia
  • Link para baixar o livrohttps://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22345
  • Sinopse: A obra é orientada pela reflexão dos diferentes processos do mundo do estudante e da pesquisa, especialmente no sentido da formação e prática de professores. Na perspectiva da sociologia da educação contemporânea vê-se a imbricação da experiência simultânea da socialização-aprendizagem dos estudantes no meio ambiente do ensino superior. No campo da pesquisa sobre o trabalho docente percebem-se questões éticas nas pesquisas, com repercussões sobre a perspectiva pedagógica dos professores das escolas. Noutro contexto, a partir das falas das gestoras de um estabelecimento, discute-se os sentidos atribuídos às práticas desenvolvidas no cotidiano da educação infantil. Nisso há motivações e estratégias adaptativas de professoras em seus primeiros anos na Educação Infantil, revelando-se as angústias e superações que constituem a iniciação na cultura profissional. Essa cultura escolar, especialmente na sala de aula, inclui de forma inevitável a dimensão moral das relações interpessoais entre alunos e professoras. Já nos aspectos cognitivos e epistemológicos, tratados na formação de professores no ensino superior, é preciso compreender-se as construções de conceitos pelos estudantes, como é o caso do conceito de espaço e tecnologia. No sentido da profissionalização docente, problematiza-se a prática na educação infantil da docência sem a formação pedagógica prévia, mas que também é capaz de desencadear a busca dos conhecimentos profissionais. Por fim, fenômeno presente na vida de professores e estudantes, há a violência escolar, investigada pelas concepções dos professores sobre os efeitos do bullying na socialização dos alunos. Esses são os temas tratados pelos autores e autoras, provenientes de diferentes filiações: encontramos pesquisadores da UFRN-Universidade Federal do Rio Grande do Norte; da UNEMAT-Universidade do Estado do Mato Grosso; IFRN-Instituto Federal do Rio Grande do Norte; da SME-Secretaria Municipal de Educação de Natal; bolsistas de iniciação científica do PIBIC-CNPq; e, tem-se ainda a participação de Kenneth Tobin, da CUNY-City University of New York. Não se quis apenas um conjunto qualquer de trabalhos individuais, mas o resultado de reflexões propositivas e convergentes para o campo da educação, especialmente a partir da sociologia da educação, e da pesquisa realizada em ambientes escolares, isto é, o meio acadêmico, da educação infantil ao ensino superior, como se pode depreender das temáticas exploradas pelos capítulos desta obra coletiva. A tríade "Ser estudante/Ser professor/Ser pesquisador" significa a combinação lógica da atuação dos atores e dos cenários da educação escolar retratados nestas páginas. Estamos vivendo um momento histórico crítico para o papel da escola, questionada e empurrada de todos os lados no seu protagonismo institucional, profissional, cultural, científico, tecnológico na mudança social e na formação humana. Em termos simples, mas profundamente político e filosófico: as vidas e de estudantes, professores e pesquisadores se encontram na tormenta da educação contemporânea. A educação está em tudo: do mundo da infância à sociedade dos adultos, das ciências às artes, da epiderme de cada um aos tecidos sociais mais fundos, do futuro acuado pelos desequilíbrios ambientais às novas tecnologias de comunicação e sustentabilidade da espécie. Ser no mundo: estado constante e incessável de equilíbrio-desequilíbrio, soluções provisórias e conflitos latentes, aprendiza-dos insuficientes e sobrevivência necessária, ameaças e superações, angústias e otimismos. Sem utopias moralistas para o ensino e os educadores, nem ingenuidades científicas ou pretensões de verdades prontas, os autores e autoras desta obra exercitam suas mentes sobre vários momentos e espaços de formação e socialização, que compõem a experiência compartilhada de ciência e profissão, de vida pessoal e interacional no meio universitário e em outros ambientes escolares.
Voltar